segunda-feira, 30 de abril de 2012

Relatório Descritivo 2011 - AEE


PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
E.M.E.B. MARIA ILNAH DE SOUZA ALMEIDA
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO – AEE

RELATÓRIO DESCRITIVO 2011

Nome do aluno:
Data de Nascimento: 23/09/04
Série:  1º ANO      
Área de deficiência: SÍNDROME DE DOWN

Ø  Aspecto sócio-emocional
Em relação à socialização com seus pares a educanda consegue manter uma boa relação; demonstra gostar da escola, dos seus colegas e professora, xxxxxx é uma criança tímida e retraída, porém, seus colegas e demais funcionários da escola têm uma boa relação com a mesma. Em se tratando do comportamento, prefere na maioria das vezes ficar sozinha, apenas observando.  Demonstra ser uma criança alegre, prestativa e carinhosa, No intervalo fica calada, apenas observando seus pares. Quando está no acompanhamento, é comunicativa e gosta de cantar. Gosta de estar na companhia deles, porém, não brinca com os mesmos, preferindo só observá-los.
 Nos momentos de realização das atividades individuais e em grupo a criança só realiza as atividades e participa mediante a intervenção da professora. Manifesta  bons hábitos de higiene  e  utiliza expressões  de cortesia quando é estimulada.
Apresenta lentidão para realizar as tarefas, dispersasse com facilidade necessitando da ajuda da professora para concluí-las; principalmente as atividades que envolvem a escrita e pintura. Em algumas situações não concluiu o dever no tempo determinado, sendo necessária a intervenção para realizar as mesmas. Em alguns momentos faltou ter mais atenção com os materiais da sala de recurso multifuncional e se concentrar  durante as explicações das atividades.

Ø  Aspectos psicomotores
 A educanda apresenta dificuldade na motricidade fina e ampla; porém, foi possível verificar que em relação à coordenação motora global, a mesma faz movimentos de arremessar e captar objetos; ainda não consegue pular corda, não tem noção de lateralidade (direita e esquerda, encima e embaixo, frente, traz, dentro, fora, em pé, sentado, agachado); orientação espaço-temporal (longe, perto, noite, dia, chovendo, ensolarado, nublado, ontem, hoje, conseguiu realizar com auxilio) etc. Na motricidade fina, faz uso da mão direita, segue com dificuldade os traçados e recorta também com dificuldade, devido à mesma ainda não ter desenvolvido força e apreensão; consegue realizar a atividade de encaixe e pareamento com auxilio faz movimento de rosca e de pinça com autonomia. Ainda não apresenta equilíbrio corporal acompanhando com insegurança e os movimentos sugeridos nos jogos. Participa  ativamente das brincadeiras propostas.
       
Ø  Aspecto  cognitivo (aprendizagem)
            Apresenta atraso na linguagem; está no nível pré - silábico conforme Emilia Ferreiro. Identifica as letras (a, e, o, u, f, m e b), e os números (1 e 4). Em relação à atividade no computador (softwares) a aluna realiza com entusiasmo e no tempo estipulado; necessitando de ajuda para movimentar o mouse ao local solicitado.
Na expressão oral, a criança só expõe suas idéias mediante a solicitação da professora, ainda não consegue organizar essas informações de maneira correta para expor com coerência quando lhe é solicitado.
A educanda apresenta um quadro acentuado de desatenção e atraso no desenvolvimento cognitivo; nos jogos que envolvem raciocínio lógico a mesma apresenta dificuldade, necessitando de auxilio para realizá-los; como quebra-cabeça, jogo da memória, encaixe. Não relaciona os números a sua sequência numérica, não estabelece a relação entre número e quantidade; identifica algumas cores primárias e as nomeia.   Ainda não consegue nomear as formas geométricas, identificar os sons dos objetos do cotidiano.

Ø  Trabalho realizado pela escola referente à dificuldade da criança
 Conversamos com a mãe sobre as dificuldades acima descritas e orientamos que buscasse atendimento com outros especialistas; uma equipe multidisciplinar, como fonoaudiólogo, fisioterapeuta e psicopedagogo, para que a aluna possa desenvolver melhor suas competências e habilidade, melhorando assim o processo ensino aprendizagem.  Foi sugerido à família que trabalhassem a questão da autonomia com a criança através do desenvolvimento de atividades que a propicie em momentos de exercício dessa habilidade e manter o diálogo, orientando e trabalhando limites.
Em relação à dicção a criança ainda não iniciou o tratamento no ano de 2011, por falta de recursos financeiros e pelo município não dispor de fonoaudiólogo no centro de reabilitação, sendo assim, ouve uma quebra no tratamento. Segundo o relato da mãe a criança não se encontrava em um nível avançado, pois necessita de varias sessões fonoterápicas. 

Ø  Aspectos relacionados ao acompanhamento familiar
           A criança tem apresentado um ótimo acompanhamento.
           A família e escola devem caminhar juntas para o desenvolvimento da criança.

Ø  Recomendações a serem seguidas no próximo ano.
As dificuldades apresentadas por xxxxxx são notórias. Acredita-se que ao continuar freqüentando a sala de recurso multifuncional, o acompanhamento com a equipe multidisciplinar e as aulas de balé, exista a oportunidade de um atendimento mais focado nas dificuldades específicas da mesma, contribuindo assim para os avanços  na conquista de sua autonomia e aprendizagem. O trabalho com atividades diferenciadas e específicas nas seguintes áreas:

Linguagem Oral:
- Método Fônico: Sons das letras e palavras;
- Aliterações;
-Utilizar cantigas e músicas infantis;
-Proporcionar a interação e comunicação, através de fantoches;
Percepção
  • Proporcionar a brincadeira de esconde-esconde, com o intuito de procurar localizar de onde vem determinado som.
  • Proporcionar o manuseio de instrumentos musicais, discriminando-os através de seus sons,
  • Identificar ruídos de animais conhecidos, fazendo o pareamento entre a imagem, o som e a palavra (verificar material);
  • Diferenciar animais domésticos e silvestres
  • Diferenciar sabores e para que servem no cotidiano. (sal, café, açúcar, leite, etc..)
  • Diferenciar comestível de não comestível
  • Provar alimentos sólidos, líquidos, crocantes, macios, duros.
  • Experimentar coisas que têm e que não têm cheiro.
  • Experimentar odores fortes e fracos, agradáveis e desagradáveis em materiais como: vinagre, álcool, café, perfumes.
  • Montar quebra cabeça-simples,
  • Exploração do ambiente escolar através dos sentidos, utilizando a linguagem oral e gestual como sensores.
Psicomotricidade
Exercícios de Coordenação Dinâmica Global
  • Trabalhar a expressão corporal;
  • Produção de movimentos, danças;
  • Atividades rítmicas;
  • Proporcionar brincadeiras de pula- corda, corrida de saco e cabo de guerra;
  • Exercitar tensão e relaxamento no corpo (amolecer, murchar, endurecer, etc.)
Exercícios de Orientação Temporal
  • Ouvir histórias, ou músicas que contenham histórias, e depois contar a seqüência dos fatos.
  • Ordenar cartões com figuras e formas e recompor uma história com início, meio e fim.
  • Observar animais (Caracol, largatixa, gato, tartaruga, etc.) e dizer quais são os mais velozes e os mais lentos.
  • Mover carrinhos rapidamente e lentamente, seguindo instruções do professor;
  • Saber localizar os dias da semana, através do calendário e quadro de rotina.
Exercícios de Coordenação óculo- motora
Recortar com tesoura
  • Treinar o modo de segurar a tesoura e seu manuseio, cortando o ar, sem papel.
  • Recortar vários tipos de papel com a tesoura livremente.
  • Recortar tiras de papel largas e compridas.
  • Recortar formas geométricas e figuras simples desenhadas em papel dobrado.
Colar
  • Colar recortes em folha de papel, livremente.
  • Colar recortes em folha de papel, apenas numa área determinada.
  • Colar recortes sobre apenas uma linha vertical.
  • Colar recortes sobre apenas uma linha horizontal.
·        Colar recortes sobre apenas uma linha diagonal.
Modelar
·        Modelar com massa e argila: formas circulares, esféricas, achatadas nos pólos (como tomate), ovais, cônicas (como cenoura), cilíndricas (como pau de vassoura), quadrangulares (como tijolo), etc.
Perfurar
  • Perfurar livremente uma folha de isopor com agulha de tricô ou caneta de ponta fina sem carga.
  • Perfurar folha de cartolina em seqüência semelhante à proposta para o trabalho com isopor.
·        Perfurar o contorno de figuras desenhadas em cartolina e procurar recortá-las apenas perfurando.
Bordar
  • Enfiar macarrão e contas em fio de náilon ou de plástico.
  • De início as contas e o macarrão terão orifícios graúdos e o fio será bem grosso e firme.
  • Numa segunda etapa, o material deverá ter orifícios menores e os fios deverão ser mais finos e flexíveis.
  • Alinhavar em cartões de cartolina.
  • Pregar botões.
Pintar
  • Pintar áreas delimitadas por formas geométricas e partes de desenhos de objetos.
Exercícios Grafomotores
  • Passar o dedo indicador da mão dominante sobre uma reta horizontal traçada pelo educador, com pincel, na cartolina. Seguir a orientação da esquerda para a direita.
  • Com o dedo indicador, traçar uma mesma reta no ar, de olhos abertos. Repetir o exercício de olhos fechados.
  • Passar giz sobre o traço feito pelo educador. Fazer outros traços iguais ao lado.

Atividades da Vida Diária
  • Saber distinguir diferentes tipos de alimentos através de figuras: gelados (sorvete), naturais (frutas), cozidas (legumes), fritos (ovo) etc...
  • Noção de família (membros, história familiar, significado de uniões (casamento), formas de lazer com a família)
  • Trabalhar localização na escola através de placas, contendo as palavras.
  • Aprender à usar botões, fechos, velcro, ganchos, colchetes e amarrar cadarços.
  • Ter noção do uso do dinheiro.
  • Noções de higiene (desenvolver pequenas atividades, tais como: lavar as mãos antes do lanche, após o uso do banheiro, escovar os dentes após o lanche, pentear os cabelos, etc..
Cognitivo – Verbal
·         Contar o que vê em fotos ou gravuras, começar com gravuras que contenham poucos elementos.
·          Contar a história de seus próprios desenhos.
·         Brincar de "o que é o que é"? A professora diz: "É redonda, serve para jogar e para chutar". A resposta é: "Uma bola".
·         Imitar algo, somente com gestos, para a criança adivinhar o que é, e se for preciso, usar sons.
·         Fazer pareamento de singular e plural com imagens.
·         Fazer pareamento de aumentativo e diminutivo com imagens
Matemática
·         Observar uma coleção de objetos pequenos misturados: pedrinhas, botões, grãos de milho, peteca, clipes, etc. Separar esses objetos pela classe a que pertencem: conjunto de pedras, de botões, de clipes.
·         Seriar objetos de acordo com o tamanho (do menor para o maior), com a cor (da mais clara à mais escura), com a espessura ( do mais fino para o mais grosso), conservando a mesma categoria.
·         Distribuir o mesmo número de objetos, observando que a quantidade não se altera quando modificamos sua posição.
·         Cortar frutas ao meio para dividi-las com um colega ou com a professora (dois pedaços: um para cada um).
·         Jogos (contribuem para desenvolvimento de noções matemáticas): pega- varetas, memória, dominó, etc..
·         Exercícios com blocos lógicos de vários tamanhos, espessura, cor, forma.
Estas atividades contribuirão no processo de desenvolvimento das habilidades da aluna, contexto este que pode ser trabalhado junto aos demais alunos na sala regular.







































PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
E.M.E.B. MARIA ILNAH DE SOUZA ALMEIDA
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO – AEE


RELATÓRIO DESCRITIVO 2011
Nome do aluno:          
Data de Nascimento: 18/09/01
Série: 1º ANO       
Área de deficiência: DEFICIÊNCIA MULTIPLA

Ø  Aspecto sócio-emocional
O aluno xxxxx, com dez anos de idade, é cadeirante, tem deficiência Múltipla: Deficiência Física (paralisia cerebral do tipo tetraplegia espástica associado a atraso cognitivo e epilepsia sintomática parcialmente controlada) é deficiência visual. Possui como fatores de risco para lesão cerebral intercorrências gestacionais, prematuridade, anoxia neonatal com necessidade de oxigenioterapia e intercorrências neonatais. A interação de xxxxx com seus pares aconteceram da seguinte maneira: nas aulas de educação física, recreio e nos projetos desenvolvidos pela escola (acompanhado em todos os momentos na escola pela professora do atendimento educacional especializado). Podemos perceber que nestes momentos o aluno se sentia parte da escola, pois sempre expressava satisfação e seus pares o aceitaram sem preconceito.

Ø  Aspectos psicomotores
           O aluno necessita constantemente de minha presença, não consegue se locomover sozinho faz uso da cadeira de roda, não fala, porém, entende tudo o que falamos e comunicasse através de sorrisos (quando está gostando de algo fica feliz, quando irritasse fica inquieto grita e chora), consegue manifestar seus desejos através desses gestos.  Não consegue realizar as atividades da vida diária e nem a funcional, precisa da ajuda de terceiros para realizar as atividades de rotina de casa e da escola; como no recreio, não controla os esfíncteres, utiliza fralda descartável. 

Ø  Aspecto  cognitivo (aprendizagem)
O mesmo beneficiasse por atividades de caráter lúdico e de socialização com seus pares, contudo é respeitada sua fase de desenvolvimento e suas características, sem enfatizar a aprendizagem de conteúdos. O atendimento na sala de recursos com xxxxx tem como objetivo favorecer a socialização e estimulação da exploração do brinquedo e da brincadeira, enfatizando o treino de atividades da vida diária e da funcionalidade. As atividades realizadas com o educando eram estimuladas através da audição e tato, cada vez que utilizávamos os objetos descrevíamos os mesmos e em seguida pegávamos nas mãos dele, mesmo atrofiadas ele os tocava, respondia as atividades através da face, quando gostava ficava contente, quando não entendia ou não se interessava pela mesma, gritava ou ficava serio. Apesar das limitações do aluno, não impediu o mesmo de realizar as atividades propostas e de interagir com seus pares. 

Ø  Trabalho realizado pela escola referente à dificuldade da criança
Conversamos com a mãe sobre as dificuldades acima descritas e orientamos que a mãe continuasse no acompanhamento com a equipe multidisciplinar na Rede SARAH de Reabilitação, apesar da dificuldade que a mesma encontra para levá-lo até Macapá, pois não dispõe de transporte próprio para locomoção do aluno, dependendo de itinerário, como não pode levar a cadeira de rodas, é necessário colocá-lo no colo. Esse acompanhamento é necessário para o desenvolvimento de suas competências e habilidade, melhorando assim o processo de socialização e interação do mesmo na escola. Proporcionamos a interação de xxxxx com seus pares através das aulas de educação física, recreio e nos projetos desenvolvidos pela escola (acompanhado em todos os momentos na escola pela professora do atendimento educacional especializado). Podemos perceber que nestes momentos o aluno se sentia parte da escola, pois sempre expressava satisfação e seus pares o aceitaram sem preconceitos. O educando não participou das aulas de educação física devido à rotatividade de professor e o receio dos mesmos em trabalhar com xxxxx, devido eles não saberem como  envolvê-lo nas atividades devido suas limitações, não foi má vontade dos professores e sim a formação de como trabalhar atividades psicomotoras com a criança.

Ø  Aspectos relacionados ao acompanhamento familiar
  A criança tem apresentado um ótimo acompanhamento.
   A família e escola devem caminhar juntas para o desenvolvimento da criança.

Ø  Recomendações a serem seguidas no próximo ano
As dificuldades apresentadas por xxxxx são notórias. Acredita-se que ao continuar freqüentando a sala de recursos multifuncional, participando dos projetos da escola e dos atendimentos na Rede Sarah, exista a oportunidade de um atendimento mais focado nas dificuldades específicas do mesmo, contribuindo assim para os avanços  na conquista de sua autonomia e interação com seus pares. O trabalho com atividades de caráter lúdico e de socialização e específicas contribuirão no processo de desenvolvimento de habilidades do aluno, contexto este difícil de ser trabalhado junto aos demais alunos na sala regular.
É necessário também, a elaboração de um projeto para ser desenvolvido com as crianças na sala regular de maneira dinâmica para ser explorado a questão da inclusão das diferenças (as deficiências, suas dificuldades e habilidades); para que as crianças tomem consciência de que essas crianças também podem freqüentar a escola e aprender igualmente a elas; só precisam de tempo para seu desenvolvimento, pode demorar ou não, dependendo do grau da deficiência.


















PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
E.M.E.B. MARIA ILNAH DE SOUZA ALMEIDA
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO – AEE

RELATÓRIO DESCRITIVO 2011

Nome do aluno:        
Data de Nascimento: 13/09/2002
Série:  3º ANO      
Área de deficiência: DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Ø  Aspecto sócio-emocional
 Demonstra ser uma criança retraída, durante o ano letivo apresentou insegurança a sua nova turma (resistência em obedecer as regras estabelecidas para o desenvolvimento das atividades nos ambientes de aprendizagem da escola) sendo necessário as professoras da sala regular e do atendimento educacional especializado intervirem para o mesmo aceitar sua turma.
 Nos momentos de realização das atividades individuais e em grupo a criança só realizava as atividades e participava mediante a intervenção da professora.  Apresentou um bom relacionamento com os colegas e professores, porém, quando não está tomando seu remédio, tornasse agressivo com seus pares.
 A criança manifesta  bons hábitos de higiene  e  utiliza expressões  de cortesia.       

Ø  Aspectos psicomotores
           Apresenta equilíbrio corporal acompanhando com segurança e agilidade os movimentos sugeridos nos jogos. Não gosta participa  ativamente das brincadeiras propostas, só quando sente vontade. Possui controle na marcha, postura, pula corda, dança, realizou a atividade de recorte e colagem com dificuldade por não ter desenvolvido força de apreensão, tem equilíbrio, coordenação olho-mão, joga e arremessa bola, lateralidade (direita e esquerda, encima e embaixo, frente, traz, dentro, fora, em pé, sentado, agachado) orientação espaço-temporal (longe, perto, noite, dia, chovendo, ensolarado, nublado, ontem, hoje, conseguiu realizar com auxilio) etc.
Esquema corporal: observar condições de equilíbrio motor aplica conceitos espaciais e de lateralidade em seu próprio corpo, é capaz de reproduzir estruturas rítmicas. Coordenação - grafo - manual: observou-se que o educando ainda não domina totalmente a qualidade dos traçados com instrumentos grossos e finos, fez representação gráfica esquemática e reconhecível.
       
Ø  Aspecto  cognitivo (aprendizagem)
Devido O educando faltar frequentemente na escola e posteriormente nos atendimentos, tivemos que retomar as atividades desenvolvidas no primeiro semestre, pois o mesmo regrediu na aprendizagem, encontrasse no nível pré-silábico. Tem dificuldade em copiar as letras e palavras; porém, no que diz respeito à oralidade e narrar acontecimentos do cotidiano, o mesmo descreve com perfeição, faz questionamentos a professora do AEE e quando sentisse a vontade na sala de aula regular, também faz perguntas. O aluno quando não toma seu remédio, fica agressivo com seus pares, preferindo ficar sozinho. Seus colegas ficam tristes e com receio de chegar perto dele; xxxx gosta de sua turma e de ficar na companhia de seus colegas e de sua professora. Porém, todo o trabalho que foi feito em conjunto com a professora do AEE e da sala regular em relação à socialização e alfabetização do educando sofreram uma regressão; pois o mesmo falta muito e acaba retrocedendo todo seu desenvolvimento. Sendo assim, necessitou da ajuda da professora para realizar a atividade proposta, pois o mesmo desconheceu grande parte do alfabeto, manuseou corretamente o mouse e com orientação levou a letra a figura.
            Ainda não consegue compreender as relações de igualdade e diferença, não reconhece os absurdos e capacidades de conclusões lógicas; não compreende os enunciados; resolução de problemas cotidianos; resolução de situações problema, compreensão do mundo que o cerca, compreensão de ordens e enunciados, causalidade, sequência lógica, etc. Faz movimento de pinça e pareamento das cores primarias e secundarias seguindo comando do avaliador; porém, não reconhece as mesmas; identifica as formas geométricas, não identifica os números em sua sequência de 1 a 10, quando estão desordenados, desconhece os mesmos. Relaciona quantidades ao numeral, não identifica os dias da semana, não tem noção de tempo e espaço. Consegue realizar atividade de encaixe com perfeição.

Ø  Trabalho realizado pela escola referente à dificuldade da criança
            Conversamos com a mãe sobre as dificuldades que a criança tinha em obedecer às normas estabelecidas para o desenvolvimento das atividades pedagógicas, e sobre o problema de dicção.  Foi sugerido à família que trabalhassem a questão da autonomia com a criança através do desenvolvimento de atividades que a propicie em momentos de exercício dessa habilidade e manter o diálogo, orientando e trabalhando limites e sugeriu que levassem a um especialista para investigar  as  causas do problema de dicção. 
            Na  sala de aula a professora sempre procurou trabalhar através de conversas sobre a importância do cumprimento das regras e limites para poder ter um melhor desempenho nas atividades propostas. A criança tem apresentado melhoras em obedecer às regras estabelecidas na escola. Em relação à dicção a criança ainda não iniciou o tratamento que está marcado para o inicio de 2012, por falta de recursos financeiros e pelo município não dispor de fonoaudiólogo no centro de reabilitação, sendo assim, ouve uma quebra no tratamento do educando.

Ø  Aspectos relacionados ao acompanhamento familiar
           A criança não tem apresentado um ótimo acompanhamento, devido o descaso de seus pais, ficou muito tempo sem vir à escola e ao acompanhamento, porque seu remédio tinha acabado e seus pais demoraram a procurar o especialista para que o mesmo fosse submetido a novos exames e ser receitado. Sendo assim, ouve uma quebra no desenvolvimento da criança.  A família e escola devem caminhar juntas para o desenvolvimento da criança.

Ø  Recomendações a serem seguidas no próximo ano
As dificuldades apresentadas por xxxxx são notórias. Acredita-se que ao freqüentar a sala de aula regular e o atendimento educacional especializado assiduamente, e periodicamente acompanhamento com a equipe multidisciplinar e de seus pais, exista a oportunidade de um atendimento mais focado nas dificuldades específicas do mesmo, contribuindo assim para os avanços  na conquista de sua autonomia e aprendizagem. O trabalho com atividades diferenciadas e específicas contribuirão no processo de desenvolvimento de habilidades do aluno, contexto este que pode ser trabalhado junto aos demais alunos na sala regular como:
Ø  Trabalhar as competências e habilidades que o educando possui;
Ø  Manter uma rotina diária de trabalhos;
Ø  As atividades devem ser explicadas de forma lenta e tranqüila, repetindo quantas vezes forem necessárias, (a repetição e rotina de aplicação das atividades, possui grande importância no desenvolvimento, compreensão e aprendizagem de alunos com deficiência intelectual;
Ø  É importante utilizar o interesse que o educando apresenta por determinados assuntos, temas e formas de realizar as atividades, (assim é possível estar organizando e planejando adequadamente os desafios propostos aos alunos;
Ø  Observar como o educando reage e age em cada situação e atividades aplicadas, como as realiza. Estar atento auxiliá-lo, para que desenvolva uma melhor forma de Trabalho em duplas ou grupos em sala de aula;
Ø  Cantinhos, (onde o educando poderá estar realizando atividades diversificadas em sua própria sala de aula regular, como leitura, escrita, jogos, recorte, pintura, desenho, etc.);
Ø  Propor trabalhos e atividades que possam auxiliar o desenvolvimento de habilidades adaptativas: sociais, de comunicação, cuidados pessoais, autonomia;
Ø  Trabalhar partindo do concreto, visando operar com conceitos, abstrações, hipóteses, generalizações, propiciando atividades organizadas para desafiar o pensamento do educando;
Ø  Utilizar diferentes recursos para produção de escrita e leitura: letras móveis, jogos, etc.
Ø  Em atividades de matemática poderão ser utilizados os seguintes recursos: blocos lógicos, calculadoras, dados, jogos, etc.;
Ø  Dramatizações com músicas, teatros e leituras;
Ø  Adotar procedimentos pedagógicos visando à descoberta do educando nas situações problemas;
Ø  O educando deve saber quando respondeu corretamente. Se a resposta estiver incorreta deve-se dizer a criança, mas faça com que esteja próxima a resposta correta;
Ø  Trabalhar juntamente com o educando a auto-correção de suas atividades;
Ø  Proporcionar maior espaço de tempo entre as repetições de temas, a acumular experiências num curto espaço de tempo; Cartazes: calendário, presença, rotina, aniversário, alfabeto, números, etc.;
Ø  Trabalho de campo, pesquisas, atividades com práticas e vivências estimulando o conhecimento e novas ações.
O educando participará do programa Mais Educação na modalidade de judô, com o objetivo de trabalhar a autoconfiança, defesa, disciplina e que ele possa interagir com seus pares.










PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
E.M.E.B. MARIA ILNAH DE SOUZA ALMEIDA
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO – AEE

RELATÓRIO DESCRITIVO 2011

Nome do aluno:  
Data de Nascimento: 13/03/03
Série:  3º ANO            
Área de deficiência: AUTISTA

Ø  Aspecto sócio-emocional
É uma criança alegre, prestativa e carinhosa, gosta de estar na presença de seus colegas de classe e da professora. Demonstra interesse em ajudar os mesmos a realizarem as tarefas de sala de aula e no acompanhamento na sala de recurso multifuncional. Ainda não desenvolveu hábitos e atitudes próprias de convívio social; além de ter relação com a questão do interesse de regular o comportamento, as interrelações em sala de aula oportunizam “trocas” que resultam em aprendizagens significativas para o educando.
 Nos momentos de realização das atividades individuais e em grupo a criança só realizava as atividades e participava mediante a intervenção da professora.        
        A criança manifesta  bons hábitos de higiene  e  utiliza expressões  de cortesia.     
   
Ø  Aspectos psicomotores     
As funções motoras fina, motora grossa estão bem evoluídas, não apresenta dificuldade na marchar, consegue equilibrar-se, tem postura adequada, pula corda. Faz uso da mão direita e segura o lápis corretamente. Na atividade de recorte e colagem; recorta corretamente o contorno solicitado. Tem uma boa coordenação motora fina ao traçar as letras.  Na coordenação olho-mão realizou com agilidade, consegue arremessar e jogar a bola, sente dificuldade nas atividades que envolvem noções de lateralidade e orientação espaço-temporal, etc.
Esquema corporal: observamos que ainda não possui condições de equilíbrio motor e capacidade de aplicar conceitos espaciais e de lateralidade em seu próprio corpo, se reconhece em frente ao espelho e é capaz de identificar as partes de seu corpo e de reproduzir estruturas rítmicas. Coordenação - grafo - manual: detectamos que o educando possui a qualidade dos traçados realizados com instrumentos grossos e finos e faz representação gráfica esquemática ou reconhecível.

Ø  Aspecto  cognitivo (aprendizagem)      
Encontrasse no nível pré-silábico, identifica quase todas as letras do alfabeto e faz a associação da letra à figura. Possui limite na pintura e recorta com autonomia. Faz movimento de pinça e pareamento das cores primarias e secundarias seguindo comando do avaliador e as reconhece. Identifica as formas geométricas, identifica os números em sua sequência e desordenados de 1 a 10. Relaciona quantidades ao numeral, não identifica os dias da semana, não tem noção de tempo e espaço. Consegue realizar atividade de encaixe com perfeição.
 Na expressão oral, a criança só expõe suas idéias mediante a solicitação da professora, não consegue organizar informações para expor com coerência.           

Ø  Trabalho realizado pela escola referente à dificuldade da criança
Foi sugerido à família que trabalhassem a questão da autonomia com a criança através do desenvolvimento de atividades que a propicie em momentos de exercício dessa habilidade e manter o diálogo, orientando e trabalhando limites e Orientamos os pais do educando a procurarem o Centro Raimundo Nonato para que o mesmo pudesse ser atendido pela equipe multidisciplinar que o centro dispõe, para ajudá-lo no desenvolvimento de suas competências e habilidades. Na  sala de aula a professora sempre procurou trabalhar através de conversas sobre a importância do cumprimento das regras e limites para poder ter um melhor desempenho nas atividades propostas. A criança tem apresentado melhoras em obedecer às regras estabelecidas na escola.         

Ø  Aspectos relacionados ao acompanhamento familiar          
 A criança tem apresentado um excelente acompanhamento. Seu relacionamento com a família é ótimo, seus pais tem muito carinho e afeto pelo mesmo; procuram estudar sobre a síndrome e a buscar recursos e atendimento que possam melhorar a desenvolvimento de xxxxxx.
 A família e escola devem caminhar juntas para o desenvolvimento da criança.

Ø  Recomendações a serem seguidas no próximo ano        
As dificuldades apresentadas por xxxxx são notórias. Acredita-se que ao continuar freqüentando a sala de aula regular, o atendimento educacional especializado e o acompanhamento no Centro Raimundo Nonato, exista a oportunidade de um atendimento mais focado nas dificuldades específicas do mesmo, contribuindo assim para os avanços  na conquista de sua autonomia e aprendizagem. O trabalho com atividades diferenciadas e específicas contribuirão no processo de desenvolvimento de habilidades do aluno, contexto este difícil de ser trabalhado junto aos demais alunos na sala regular.
























PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
E.M.E.B. MARIA ILNAH DE SOUZA ALMEIDA
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO – AEE


RELATÓRIO DESCRITIVO 2011

Nome do aluno:
Data de Nascimento: 13/06/2004
Série:  1º ANO          
Área de deficiência: Não tem laudo médico

Ø  Aspecto sócio-emocional
 Em relação à socialização com seus pares a educanda consegue manter uma boa relação; demonstra gostar da escola, dos seus colegas e professora, xxxxx é uma criança tímida e retraída, porém, seus colegas e demais funcionários da escola têm uma boa relação com a mesma. Em se tratando do comportamento, prefere na maioria das vezes ficar sozinha, apenas observando.  Demonstra ser uma criança alegre, prestativa e carinhosa, No intervalo fica calada, apenas observando seus pares. Quando está no acompanhamento, é comunicativa e gosta de cantar. Gosta de estar na companhia deles, porém, não brinca com os mesmos, preferindo só observá-los.    
 Nos momentos de realização das atividades individuais e em grupo a criança só realizava as atividades e participava mediante a intervenção da professora. Apresentou um bom relacionamento com os colegas e professores. A criança manifesta  bons hábitos de higiene  e  utiliza expressões  de cortesia.  Em alguns momentos faltou ter mais responsabilidades com os materiais utilizados no atendimento e se concentrar  durante as explicações das atividades propostas.

Ø  Aspectos psicomotores      
Apresenta equilíbrio corporal acompanhando com segurança e agilidade os movimentos sugeridos nos jogos. Participa  ativamente das brincadeiras propostas. Foi possível verificar que em relação à coordenação motora global, a mesma faz movimentos de arremessar e captar objetos; ainda não consegue pular corda, não tem noção de lateralidade (direita e esquerda, encima e embaixo, frente, traz, dentro, fora, em pé, sentado, agachado); orientação espaço-temporal (longe, perto, noite, dia, chovendo, ensolarado, nublado, ontem, hoje, conseguiu realizar com auxilio) etc. Na motricidade fina, faz uso da mão direita, segue com dificuldade os traçados e recorta também com dificuldade, devido à mesma ainda não ter desenvolvido força e apreensão; consegue realizar a atividade de encaixe e pareamento, faz movimento de rosca e de pinça com autonomia. Ainda não apresenta equilíbrio corporal acompanhando com insegurança e os movimentos sugeridos nos jogos. Participa  ativamente das brincadeiras propostas.
  
Ø  Aspecto  cognitivo (aprendizagem)    
A aluna apresenta lentidão para realizar as tarefas, dispersasse com facilidade necessitando da ajuda da professora para concluir as mesmas que envolvem a escrita e pintura. Identifica as letras (a, e, o, u, f, m e b), e os números (1, 2, 3, 4 e 5), encontrasse no nível pré - silábico. Em relação à atividade no computador (softwares) a aluna realiza com entusiasmo e no tempo estipulado; necessitando apenas de minha ajuda para movimentar junto com ela o mouse ao local solicitado. No intervalo fica calada, apenas observando seus pares. Quando está no acompanhamento, é comunicativa e gosta de cantar.
       Na expressão oral, a criança só expõe suas idéias mediante a solicitação da professora, mas não consegue organizar informações com coerência para expor.
            
Ø  Trabalho realizado pela escola referente à dificuldade da criança          
Conversamos com a mãe sobre as dificuldades acima descritas e orientamos que buscasse atendimento com outros especialistas; uma equipe multidisciplinar, como fonoaudiólogo, fisioterapeuta, psicopedagogo e nutricionista, pois a mesma quase não se alimenta, não gosta de merendar na escola. Essas orientações irão contribuir para desenvolvimento de suas competências e habilidade, melhorando assim o processo ensino aprendizagem.  Foi sugerido à família que trabalhassem a questão da autonomia com a criança através do desenvolvimento de atividades que a propicie em momentos de exercício dessa habilidade e manter o diálogo, orientando e trabalhando limites.                     
Em relação à dicção a criança ainda não iniciou o tratamento no ano de 2011, por falta de recursos financeiros e pelo município não dispor de fonoaudiólogo no centro de reabilitação, sendo assim, ouve uma quebra no tratamento. Segundo o relato da mãe a criança não se encontrava em um nível avançado, pois necessita de varias sessões fonoterápicas.  Sugerimos também que a mãe procurasse a Rede SARAH, verificando a possibilidade de atendimento a criança.

Ø  Aspectos relacionados ao acompanhamento familiar
           A criança tem apresentado um ótimo acompanhamento.
           A família e escola devem caminhar juntas para o desenvolvimento da criança.

Ø  Recomendações a serem seguidas no próximo ano         
As dificuldades apresentadas por xxxx são notórias. Acredita-se que ao freqüentar a sala de aula regular, o atendimento educacional especializado, o acompanhamento na Rede SARAH e no Centro de Reabilitação, exista a oportunidade de um atendimento mais focado nas dificuldades específicas da mesma, contribuindo assim para os avanços  na conquista de sua autonomia e aprendizagem. O trabalho com atividades diferenciadas e específicas nas seguintes áreas:

Linguagem Oral:
- Método Fônico: Sons das letras e palavras;
- Aliterações;
-Utilizar cantigas e músicas infantis;
-Proporcionar a interação e comunicação, através de fantoches;
Percepção
  • Proporcionar a brincadeira de esconde-esconde, com o intuito de procurar localizar de onde vem determinado som.
  • Proporcionar o manuseio de instrumentos musicais, discriminando-os através de seus sons,
  • Identificar ruídos de animais conhecidos, fazendo o pareamento entre a imagem, o som e a palavra (verificar material);
  • Diferenciar animais domésticos e silvestres
  • Diferenciar sabores e para que servem no cotidiano. (sal, café, açúcar, leite, etc..)
  • Diferenciar comestível de não comestível
  • Provar alimentos sólidos, líquidos, crocantes, macios, duros.
  • Experimentar coisas que têm e que não têm cheiro.
  • Experimentar odores fortes e fracos, agradáveis e desagradáveis em materiais como: vinagre, álcool, café, perfumes.
  • Montar quebra cabeça-simples,
  • Exploração do ambiente escolar através dos sentidos, utilizando a linguagem oral e gestual como sensores.
Psicomotricidade
Exercícios de Coordenação Dinâmica Global
  • Trabalhar a expressão corporal;
  • Produção de movimentos, danças;
  • Atividades rítmicas;
  • Proporcionar brincadeiras de pula- corda, corrida de saco e cabo de guerra;
  • Exercitar tensão e relaxamento no corpo (amolecer, murchar, endurecer, etc.)
Exercícios de Orientação Temporal
  • Ouvir histórias, ou músicas que contenham histórias, e depois contar a seqüência dos fatos.
  • Ordenar cartões com figuras e formas e recompor uma história com início, meio e fim.
  • Observar animais (Caracol, largatixa, gato, tartaruga, etc.) e dizer quais são os mais velozes e os mais lentos.
  • Mover carrinhos rapidamente e lentamente, seguindo instruções do professor;
  • Saber localizar os dias da semana, através do calendário e quadro de rotina.
Exercícios de Coordenação óculo- motora
Recortar com tesoura
  • Treinar o modo de segurar a tesoura e seu manuseio, cortando o ar, sem papel.
  • Recortar vários tipos de papel com a tesoura livremente.
  • Recortar tiras de papel largas e compridas.
  • Recortar formas geométricas e figuras simples desenhadas em papel dobrado.
Colar
  • Colar recortes em folha de papel, livremente.
  • Colar recortes em folha de papel, apenas numa área determinada.
  • Colar recortes sobre apenas uma linha vertical.
  • Colar recortes sobre apenas uma linha horizontal.
·        Colar recortes sobre apenas uma linha diagonal.
Modelar
·        Modelar com massa e argila: formas circulares, esféricas, achatadas nos pólos (como tomate), ovais, cônicas (como cenoura), cilíndricas (como pau de vassoura), quadrangulares (como tijolo), etc.
Perfurar
  • Perfurar livremente uma folha de isopor com agulha de tricô ou caneta de ponta fina sem carga.
  • Perfurar folha de cartolina em seqüência semelhante à proposta para o trabalho com isopor.
·        Perfurar o contorno de figuras desenhadas em cartolina e procurar recortá-las apenas perfurando.
Bordar
  • Enfiar macarrão e contas em fio de náilon ou de plástico.
  • De início as contas e o macarrão terão orifícios graúdos e o fio será bem grosso e firme.
  • Numa segunda etapa, o material deverá ter orifícios menores e os fios deverão ser mais finos e flexíveis.
  • Alinhavar em cartões de cartolina.
  • Pregar botões.
Pintar
  • Pintar áreas delimitadas por formas geométricas e partes de desenhos de objetos.

- Exercícios Grafomotores
  • Passar o dedo indicador da mão dominante sobre uma reta horizontal traçada pelo educador, com pincel, na cartolina. Seguir a orientação da esquerda para a direita.
  • Com o dedo indicador, traçar uma mesma reta no ar, de olhos abertos. Repetir o exercício de olhos fechados.
Passar giz sobre o traço feito pelo educador. Fazer outros traços iguais ao lado.

Atividades da Vida Diária
  • Saber distinguir diferentes tipos de alimentos através de figuras: gelados (sorvete), naturais (frutas), cozidas (legumes), fritos (ovo) etc...
  • Noção de família (membros, história familiar, significado de uniões (casamento), formas de lazer com a família)
  • Trabalhar localização na escola através de placas, contendo as palavras.
  • Aprender a usar botões, fechos, velcro, ganchos, colchetes e amarrar cadarços.
  • Ter noção do uso do dinheiro.
  • Noções de higiene (desenvolver pequenas atividades, tais como: lavar as mãos antes do lanche, após o uso do banheiro, escovar os dentes após o lanche, pentear os cabelos, etc..
Cognitivo – Verbal
·         Contar o que vê em fotos ou gravuras, começar com gravuras que contenham poucos elementos.
·          Contar a história de seus próprios desenhos.
·         Brincar de "o que é o que é"? A professora diz: "É redonda, serve para jogar e para chutar". A resposta é: "Uma bola".
·         Imitar algo, somente com gestos, para a criança adivinhar o que é, e se for preciso, usar sons.
·         Fazer pareamento de singular e plural com imagens.
·         Fazer pareamento de aumentativo e diminutivo com imagens
Matemática
·         Observar uma coleção de objetos pequenos misturados: pedrinhas, botões, grãos de milho, peteca, clipes, etc. Separar esses objetos pela classe a que pertencem: conjunto de pedras, de botões, de clipes.
·         Seriar objetos de acordo com o tamanho (do menor para o maior), com a cor (da mais clara à mais escura), com a espessura ( do mais fino para o mais grosso), conservando a mesma categoria.
·         Distribuir o mesmo número de objetos, observando que a quantidade não se altera quando modificamos sua posição.
·         Cortar frutas ao meio para dividi-las com um colega ou com a professora (dois pedaços: um para cada um).
·         Jogos (contribuem para desenvolvimento de noções matemáticas): pega- varetas, memória, dominó, etc..
·         Exercícios com blocos lógicos de vários tamanhos, espessura, cor, forma.
Estas atividades contribuirão no processo de desenvolvimento das habilidades da aluna, contexto este que pode ser trabalhado junto aos demais alunos na sala regular.











Nenhum comentário:

Postar um comentário